Biografia

Maria de Lourdes Limeira de Castro natural de João Pessoa, capital da Paraíba. Viveu no Norte mais de vinte anos – dez anos em Rondônia e dez em Manaus – onde labuta na Educação como Professora de Língua Portuguesa e Espanhola. Mãe de Emanuel, Rafaela e Jorge. Respectivamente 21, 17 e 12 anos. Seu hobby predileto é ouvir Chico Buarque de Holanda, fazer aula de dança de salão e tem a leitura como um hábito em sua vida, desde muito jovem. Os clássicos brasileiros são os seus preferidos, tais como: Machado de Assis, Clarice Lispector, José Lins do Rego, Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meireles entre outros. Porém atualmente tem lido muito outros, por exemplo, Nietzche , Freud, Yung, Marx, etc. Desde jovem escreve e sempre foi apaixonada pelos livros, porém só agora quis investir no seu próprio. Após ter dois contos classificados em concursos do SESC/AM: ‘Viagem Digital’, em 2005 e ‘A Esfinge’, em 2006.

LÍNGUA ESPANHOLA

Seu maior desejo é deslanchar o Espanhol nas Escolas Estaduais, municipais e federais, já que leciona essa matéria, desde 2000, pela extensão do CEFET/AM. Dá o maior ponto ao Presidente Luis Inácio Lula da Silva em relação à lei sancionada, decretando obrigatoriedade do espanhol como língua optativa na grade curricular. “Especialmente na região norte porque tem-se cinco países fronteiriços e também porque a sua raiz latina ajuda numa maior compreensão lingüística”.

ARTE & CULTURA

Sua maior frustração é ainda não ter implantado, até o momento, um centro de arte referência na Região Norte, que fosse gratuito e levasse artes ,de modo geral, para os menos privilegiados. “Arte e esporte são o que há de melhor na vida de um jovem. Sei disso porque poderia ter-me desviado e não o fiz. que vim de uma família pobre, com onze irmãos. Teatro, dança, música, pintura, capoeira e outros seriam oferecidos a toda comunidade carente, seria realmente um sonho já que minha vida inteira estive metida nisso”, afirma.

DEDICAÇÃO NOS ESTUDOS E NA VIDA

Desde muito pequena era de praxe os estudos. Aos quinze anos, já tinha alunos particulares. Ganhava um dinheirinho, lecionando aulas de matemática no fundo da casa dos pais. Como acadêmica do Curso de Letras, sua vida era ensinar para os colegas, ajudando-os nas atividades escolares. Sua vida estudantil foi cumprida com muita responsabilidade e prazer. Jamais deixou de cumprir seus compromissos acadêmicos. Nunca foi de faltar as aulas. Suas tarefas sempre foram muito caprichadas e em dias. Jamais deixou de fazer um único trabalho solicitado por seus professores. Entretanto, como ela mesma reconhece, nuca foi aluna nota 10, todavia fora participativa e dedicada.

Manaus, 28 de agosto de 2007.

Share

Deixe seu comentário