mar 30, 2014

Escritora | Categoria Poesias | seja o primeiro

O capeta quando não vem, manda as secretárias

O capeta quando não vem, manda as secretárias
h
De uma hora pra outra, a porta estava cheia
De carro preto. E as dez ‘louras’ igual abelhas na comeia
Mais perigosas que Mefistófeles em sua fúria
Fausto ficara no chinelo nessa história!
As demônias aportaram assim num passe de mágica
E haja deboche! A risadagem eram-lhes a prática
Começavam às sete da matina
E só terminavam às 22:00hs. Isso virara rotina!
Aquelas secretárias eram todas perigosas
Em pouco tempo tudo estava infectado
Fedia a enxofre. Não havia quem não fosse contagiado.
Pior não era nada, elas eram todas queridinhas do cão
Queriam mais era ver o circo pegar fogo

A lei era levar, maior contingente, pro inferno; e logo!

" alt="468 ad" class="foursixeight" />

Deixe seu comentário