abr 1, 2014

Escritora | Categoria Poesias | seja o primeiro

Doce…doce…doce…!

Doce…doce…doce…!

 

apple

 

Que nome doce, mesmo que mel!
É meu mais novo apple
E me delicio com essa ambrosia
Farto-me quando o acesso, e ele me acaricia!
Ambrosia…! Ambrosio-me…!
Deixa-me como se estivesse em eterno cio
Parece mais coisa dos deuses! Mas, não…
É do homem mesmo; é o seu mais recente quinhão!
Una conquista para mil año!
Consagrada con la globalización. Sueño…!
El hombre, hoy, vive de la comunicación.
Ambrósio é como chamo o meu computer.
Chamo-o, assim, porque não tenho nenhum cão

E fiz do mesmo o meu amigão.

" alt="468 ad" class="foursixeight" />

Deixe seu comentário