fev 27, 2013

Escritora | Categoria Fábulas | seja o primeiro

A la Fedro

A la Fedro
A Pantera Cor de Rosa
e suas irmãs Cajazeiras
carne e unha; todas elas são formosas
prendadas rezadeiras.
Não têm muito o que fazer
hoje em dia
assim, pregam suas peças; a saída é coser
as mesmas roupas na cortesia.
A Pantera Cor de Rosa a mais formosa
das três; tem um rebolado daqueles
ao caminhar,é aquela coisa
parece instigar os moleques.
As outras irmãs a imitar
porém, são prendadas mesmo em fofocar
quando de visita a irmã, tiram a língua da miséria, botam pra fuxicar
as meninas são ótimas no prosear.
Três donzelas esquisitas
lourinhas, gordinhas e sardentas
caiporas, fofoqueiras e salientes
todas elas sem elegância e requinte.
Quando estão juntas, o bicho pega bonito
fazem  um mexerico danado
que não dá pra seu ninguém; o pai delas um coitado
um bêbado inveterado; nem a pau  sai do bar do galego seu Benedito.
Bota a conta no prego
coitado do velho! Vive dopado de cachaça
e as filhas a fofocar; todas sem emprego
a vida das Cajazeiras precisa de uma urgente mudança.
A Pantera Cor de Rosa tem planos
quer trabalhar na televisão
engolir prego e gilete
na mais utópica ilusão.
Seu intento é fazer sucesso
com as suas irmãs, ganhar dinheiro é preciso
fuxicando e muita embromação; via online dar acesso
as Cajazeiras irão viver no paraíso.
" alt="468 ad" class="foursixeight" />

Deixe seu comentário