out 9, 2012

Escritora | Categoria Cordel | seja o primeiro

Resenha: Cordel Machado de Assis

Resenha: Cordel Machado de Assis

Livro: O Alienista em cordel
Autor: Medeiros Braga
Imprell Editora, 2008O
QUE É CORDEL?
Cordel é um tipo de poema popular, exposto para venda pendurados em cordas ou cordéis, o que deu origem ao nome Portugal. No Nordeste do Brasil, o nome foi herdado, porém os folhetos brasileiros poderiam ou não estar exposto em barbantes. Poemas de cordel são escritos em forma de rima e alguns são ilustrados. Os autores, ou cordelistas, recitam esses versos de forma melodiosa e cadenciada, acompanhados de viola, como também fazem leituras ou declamações muito empolgadas e animadas para conquistar os possíveis compradores.
No Brasil, a literatura de cordel é encontrada no Nordeste, principalmente nos estados de Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará. Costumava ser vendida em mercados e feiras pelos próprios autores. Hoje também se encontra em outros Estados, como Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo, e são vendidos em feiras culturais, casas de cultura, livrarias e nas apresentações dos cordelistas.
Cordel também é a divulgação da arte, das tradições populares e dos autores locais e é de inestimável importância na manutenção das identidades locais e das tradições literárias regionais, contribuindo para a perpetuação do folclore brasileiro.
(www.significados.com.br/cordel)
O Alienista em cordel, do autor Medeiros Braga, é um lindo livro. Une popular ao erudito. Obra que comemora o centenário da morte do maior escritor brasileiro Machado de Assis. Essa obra paraibana tem peso nacional, já que se baseia no Alienista, best-seller desse monstro da literatura brasileira. Pode-se dizer que, Medeiros Braga se supera nesse cordel; ele que tem pra mais de 60 títulos; vem com isso, brilhantemente, contribuir no processo de popularização da literatura erudita.

O Autor Medeiros Braga conta com variado acervo; desde romances, poesias e livros de economia. Cordéis relevantes O Cordel do Manifesto Comunista; Leon Trotsky: Vida e Morte, Ariano Suassuna dentre outros.

Sua obra “O Alienista em cordel” apresenta-se toda em sextilhas; forma pertencente às criações dos poetas clássicos. Traz, ainda, no bojo cordelista, toda picardia machadiana através do protagonista Dr. Bacamarte Simão. Observe-se: “Do protagonista que é/ Dr. Simão Bacamarte/Mostra o autoritarismo,/O seu poder baluarte/De decidir sobre a sorte/Dos outros por toda parte.” (p.18)

Além disso, oferece uma breve biografia do Machado e também o seu lado poético, tudo em 100 páginas de tirar o fôlego de qualquer leitor. “Daquilo que não escreveu/Dá Machado a entender/ A hipocrisia política/ De alguém que quis vencer,/E a falsidade na prática/ Quando se chega ao poder.” (p.77)

Sem mais delongas, concluo recomendando a todos essa dica, pois tudo que eu lhe disser, caro leitor, não direi um terço daquilo que irá encontrar nessa preciosidade  de obra. Portanto, deixo aqui os meus mais sinceros parabéns ao autor Medeiros Braga por tal façanha. Que sabemos não fora  tarefa fácil.

" alt="468 ad" class="foursixeight" />

Deixe seu comentário