jan 18, 2013

Escritora | Categoria Destaque | seja o primeiro

Resenha: Livro das águas e pedras

Funerais da fala
Astier Basílio
Editora Universitária
João Pessoa/2000
                                       “Que o poema vos seja como o vento:
                                       alado e fluido mensageiro
                                       do seu feliz deslumbramento” Vanildo Brito
O livro Funerais da fala, de Astier Basíio, é uma das obras vencedoras do Prêmio Novos Autores Paraibanos; V versão – 1999/2000 – categoria Poesia, promovido pela UFPB (Universidade Federal da Paraíba).
Palavra a palavra, o requinte no estilo. Nos sonetos, o poeta verbaliza todo encanto. Sua lírica, sua fala. O autor fala alto aos corações mais desdenhosos. Esmero de forma. As rimas ricas contemporizam o leitor mais distante.
A obra divide-se em duas partes: a primeira: O Livro das águas dos espelhos e a segunda: O Livro das pedras.
Nos seus versos, a beleza da palavra lapidada como uma joia rara. Vale, então, conferir:
“uma úmida luz de abril revela
os vestígios do mar que  em sonhos galgas
com o vinco de tua voz em vela
na ranhura indecisa destas algas” p.26
“Foi um raro de azul imaginado
talvez sobre o que for praia do conde
tu vieste…num verso …feito o nado
da manhã que o sol transforma em fronde”P. 27
A poesia enleva o coração sensível; a do escritor Astier Basílio vai mais além, nutre, substancialmente, com suas epifanias às vis existências.
Outras obras do autor: Sonetos soltos no vento-1997; Sete sonetos de amor- 1998; A viola de Zé Maria-1998; Altharrabio-1999;Baião de 2-1999.
Concluo, enfim, desejando uma excelente leitura para todo leitor que por ventura venha ter essa maravilhosa obra em mãos.
Share
" alt="468 ad" class="foursixeight" />

Deixe seu comentário