dez 18, 2014

Escritora | Categoria Poesias | seja o primeiro

Vermes imundos

 vermes
Dedicado ao Poeta Augusto dos Anjos
Roes tudo, verme, pútrido e imundo!
Não te faças de rogado, essa é tua missão!
Devastas-me tudo, até o meu coração!
Só não toques no cérebro! Pois, é meu ser profundo!
Roes tudo! Nada, nada te impeças
Em tua faina! Vais fundo, roes-me as entranhas!
Dás vazão a tua gula! Não te detenhas!
Mas, não toques na massa cinzenta que tenho na cabeça!
Sacias-te, verme, maldito!
Tua voracidade é tamanha…
Que nada te pertubes!Sei, que nem Cristo…!
Devastas-me todas as minhas carnes amarelecidas
E flácidas pelo tempo! Fazes festa!

Tua gula te apeteças mais e mais, peste!

" alt="468 ad" class="foursixeight" />

Deixe seu comentário